top of page
  • Foto do escritorObservatório das Desigualdades

Homofobia

Atualizado: 23 de abr. de 2023


O texto a seguir foi construído a partir da colaboração de Paulo Souto Maior (Professor do Departamento de Práticas Educacionais e Currículo/UFRN). Para ver ou ouvir clique no vídeo acima!


Não há muita certeza sobre o surgimento do termo homofobia. Para o professor Daniel Borrillo, a invenção da palavra se deu em 1971 quando J.K. Smith, lançou um artigo analisando traços da personalidade homofóbica. No ano seguinte, G. Weinberg a definiu como “o receio de estar com homossexual em um espaço fechado e, relativamente aos próprios homossexuais, o ódio por si mesmo”.

espaço

No Brasil, há registros de que a palavra era usada no fim dos anos 1970, nas páginas da revista Rose, uma publicação voltada ao público gay, produzida pela editora Grafipar, do Paraná. Nesse contexto, o termo fazia alusão à discriminação contra pessoas homossexuais. Hoje, o conceito de homofobia vem sendo tensionado por diferentes segmentos da sociedade, inclusive na mídia. Ele carece de estudos e reflexões, mas, para instigar o debate, é possível dizer que a homofobia é o incômodo externalizado contra pessoas que se identificam como LGBTQI. Lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transgêneros, transexuais, queer e intersex.

Trata-se, portanto, de um sentimento negativo e que pode alcançar graus variados. Manifesta-se nos movimentos dos olhos, na linguagem verbal e até mesmo na agressão física. Portanto, hoje o termo é mais usado para se referir a preconceitos e situações de discriminação contra a população LGBTQI. Nessa perspectiva, não podemos deixar de destacar que, segundo o Grupo Gay da Bahia, o Brasil está entre os países que mais mata por homofobia. Pesquisa divulgada em 2019, aponta uma morte de LGBTQI no Brasil a cada 23 horas.

Outra questão que atravessa o conceito é a criminalização da homofobia, decidida pelo STF em 13 de junho de 2019. Após a decisão, ela passou a ser punida com base na legislação que prevê o crime de racismo. A partir de então, é possível se perguntar, sobre o conceito: quais são os contornos? As disputas? Como compreendê-lo e tencioná-lo? Como a homofobia aparece em pesquisas? Independente das respostas, Daniel Borrillo, no livro Homofobia, alerta para algumas questões envolvidas no conceito. Segundo ele: “a homofobia é o medo que a valorização dessa identidade seja reconhecida. Ela se manifesta entre outros aspectos, pela angústia de ver desaparecer a fronteira e a hierarquia da ordem heterossexual”. Quando Daniel Borrilho diz que a homofobia é o medo que a valorização dessa identidade seja reconhecida, ele está se referindo à identidade homossexual. Ou seja, é o medo que é identidade homossexual seja reconhecida.


Quer saber mais? Leia:

BORRILLO, Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2010

JUNQUEIRA, Rogério D. Homofobia: limites e possibilidades de um conceito em meio a disputas. Bagoas – Estudos gays: gêneros e sexualidades, v. 1, n. 01, 27 nov. 2012.

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page